CONSTELAÇÕES



A minha escuridão essencial assusta as estrelas, amanhece onde ninguém pode chegar. À beira de meu próprio ocaso, penso no sentido perdido das coisas que bordei nas costas de minhas mãos.Olho-as sem respeito, sem o luar mágico tão leve em que banhei minhas palavras quase perfeitas.Há milhares de pedras brutas em meu coração alinhavado pelo vento.Não consigo ser levada pelos furacões e tornados: finco os meus pés no chão, enraizo, âncoro na areia movediça e abro bem os meus olhos para ver todas as constelações que ainda abraçam o meu nome.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!