DÚVIDAS


De quantos silêncios é feito o amor?Tantas são as palavras entaladas na garganta à espera de raios e clarões, presas tão dentro de espelhos e ilusões, caladas: sons do medo e do nada.De quantos silêncios precisei para abrir as mãos e deixar-te partir? Quando a escuridão foi minha dona, abri as portas e as janelas e deixei você fugir para o abismo mais confortável, para a montanha mais cheia de pavor.Às vezes, olho para as paredes pintadas de indecisão e penso que tudo que foi amordaçado, deve permanecer como está: longe de mim, longe do mar e morro deitada na cama tão sóbria e larga, arrancando as memórias de meus seios que ainda insistem em sentir os arrepios que são teus, que são meus, que são apenas dúvidas espremidas no colchão.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!