ESSA VERDADE SILENCIOSA


Essa verdade silenciosa ninguém sabe. Ela olha dentro de mim todos os dias e amordaça as minhas mentiras sem muita força. Ela me sufoca poeticamente com tantas metáforas, signos e símbolos. Já me desconheço.
Abri as mãos para o destino, deixei todos os meus pedaços caírem, todos aqueles que nunca estiveram nos teus braços. Mereço o eclipse, a lua minguando, mereço o vento norte. Venha e me carregue. Que seja breve, que seja indolor.
Resta tão pouco agora: apenas o deserto e o seu sigilo , apenas essa secura na boca quando as palavras somem e ainda te chamo de meu amor.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!