EU TE AMO

O amor me consome em palavras ausentes: eu o ouço. Um rosto ainda está na janela: eu o vejo.Todo dia, essa ânsia alargando a eternidade, visitando o meu desejo.Todo dia, eu morro numa paz inglória.Todos os poemas que você me fez estão pregados na minha cruz.Carrego-os com as mãos sangrando.Carrego você na pele.Perdi minha verdade.Não mais abres a porta para mim.Estranho ser de quem tem todos os meus segredos.Amo você.Muito.E me dói a corda que me aperta o pescoço e eu não consigo me livrar.Quantas vezes te pedi perdão? Por quanto tempo ignorarás o meu coração nas entrelinhas da poesia que me ama e me abomina? Por quanto tempo mais vou aguentar antes de cortar os pulsos do amor?

Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!