PELA METADE


Minha mente - louca lâmpada sem luz na escuridão- carrega tuas formas como verdade e compromisso. De joelhos, procuro por luares, desejos, aquelas coisas todas que me escondestes. Não encontro essa paz imprecisa, não encontro o teu olhar.Esfacelo, perco o elo com as delicadezas do  corpo, com as palavras da alma. Cada parte de mim contém apenas dúvidas emocionadas e todo o resto que não alcanço é apenas nada. Estranho viver pela metade, derrapando nas pistas escorregadias do ontem, batendo sempre de frente com essa solidão que me ama, desde que seguimos nesse caminho perdido no infinito.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!