SE QUISERES ME ENCONTRAR



Se quiseres me encontrar, estarei no desvio onde o passado e o futuro cabem no tempo e a esperança é apenas um grão.
Eu vim com  a luz: meu corpo não resistiu à distância que se alargava e se jogou de encontro ao grito, as pedras, a flecha que atravessava os minutos subtraídos do agora.
Não havia nenhum objetivo nessa viagem salvo o desejo de entornar palavras e separar as metáforas-sementes.
Estou aqui e despertei para as cordas do silêncio salgado. O vazio embrutece. Desde que encontrei a pérola dentro da concha, a linguagem nunca mais agonizou.
Se quiseres vir aqui, encontre o teu avesso no espelho e olhe a poesia que se contrai e dilata no ápice do prazer. Não precisarás nem de asas, nem de pés e desde já, eu te digo que o corpo é inútil sem a liberdade
e o sol encostado na lua. Venhas, então, enquanto a noite está nua e o mistério prevalece. Estou aqui no meu tear que desaparece quando todos os sortilégios são meus e o sonho é o meu único deus.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!