SOU UMA PÉROLA DENTRO DA CONCHA



Essa mansidão perfeita entra pelos meus poros. Abro os olhos para olhar os mistérios guardados embaixo d'água. Flutuo com tanta delicadeza, respirando nada, respirando o pensamento imerso em mim. Rasgo as ondas, afundo na escuridão que me engole lentamente. Afogo-me em permanente docilidade. O mar me possui sem esforço. Entrego-me, entrego-me. Ele penetra as minhas entranhas com tanto cuidado e me arrasta cada vez mais para o mais fundo desse momento. Sinto o meu corpo tão impossivelmente belo e leve, sinto um estranho elo com tudo que morre e vive em mim. Movimentos lentos, maré cheia, estou grávida agora. Estou grávida e vou parir estrelas-do-mar apenas para enfeitar um pouco a hora curta.

Amo mais a minha pele, celebro mais esta comunhão, minha alma sonha. Estou distante da areia e de mim. Ouço o mar cantar, ouço todo o universo criando versos líquidos, afetos, abraços. Estou em casa no colo desse instante, no ventre da vida. Uma paz curativa lambe o meu corpo. Apenas renasço. Abraço Netuno com sofreguidão, eu pertenço a este deus, a este reino. Sou uma pérola dentro da concha. Que alguém especial me ache e me guarde. O amor deve sempre descobrir. Enquanto, escondo-me neste mar, o tempo abre as marés, movimenta as sereias, cospe as ondas. O mundo é um oceano dentro de meus olhos. Olho um pouco tudo ao redor: estou menos que só. Estou apenas gestando o amanhã, estou apenas esperando o que a vida tem para me oferecer. Mergulho para perto de Netuno. As águas se abrem e me levam. Flutuo na luz.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!