O MILAGRE DAS FLORES


Persigo o despropósito com coragem. Não quero os significados, nem os dicionários. A minha urgência é em desaprender as pequenas grandes coisas escritas e faladas que me afastam do milagre das flores.Hoje mesmo parei um pouco para ouvir as pedras. Depois, brinquei com o barulho do mar. Fiquei olhando devagar para dentro de minhas profundezas, assombrada com todos os riachos e peixes que encontrei lá.Meus olhos estavam cheios de estrelas e Deusas.Fiquei desobedecendo o relógio, caçando borboletas nas palavras,nos poemas, nos livros que apenas o coração entende.Decifrei códigos, fiz feitiços para parar o tempo, levantei minhas mãos e o vento cantou junto com as folhas.Toda a maravilha cabia no fogo de minhas mãos.

Minha alma precisa de beleza. Quando esqueço quem sou, levanto as mãos para o alto e chamos os Deuses e quando tudo é apenas serenidade, desenho mandalas e a vida se cala para ouvir a música do meu coração.

Karla Bardanza

Um comentário:

  1. Karla,

    Cada vez que visito seu blog minha emoção é muito grande porque me reconheço no que você escreve. Sempre naveguei pela internet e encontrei coisas muito bacanas, mas sua obra sem dúvida é o que de mais especial eu encontrei. Que o seu jardim interior seja sempre repleto de borboletas.
    Abraço Fraterno!

    ResponderExcluir

Pode falar agora!