MINHA CONFISSÃO


Tenho saudade do céu e de meu corpo cobrindo o teu num abraço cheio de estrelas e madrugadas. Tenho saudade da mulher encantada, da Deusa abrindo as asas sobre ti.Eu estava em toda parte, em circuferências sem fim, em tudo dentro e fora de mim. Eu era a vontade, essa vontade que já esqueço porque desconheço esse caminho.Essa divisão, esse gozo que já não existe morre, morre todo dia na exaustão, na derrota, na impotência de meu próprio coração.

Sinto falta dessas coisas melhores que a virtude, dessa liberdade que tão poucos podem entender, desses sacramentos perdidos no vento, perdidos no real que me enforca com as mãos sujas.E eu, e eu sempre fui o infinito, essa delícia que ultrapassa a compreensão e perfuma tudo ao redor.E eu sempre fui o espírito livre.

Tenho saudade do que fui sem ter sido agora, das estrelas que foram embora, de mim, de ti, de seguir em frente neste poder amarrado e cego de dor.


Karla Bardanza

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!