A GEOMETRIA DO BEM


Mil mandalas multiplicadas e desdobradas em luz vejo ao redor, enquanto olho para dentro e o mundo é apenas ilusão.Sinto o corpo estilhaçando em mil partículas de pura energia, sinto a alma fazendo amor com a poesia, buscando o êxtase que me transmuta e ilumina. Sou menina, pés nus, corpo e sonho. Sou pedra incomodando e enfeitando o caminho. Sou a queda d'água, caindo infinitamente para dentro do mar que me chama e me leva pelos cabelos.


E quando me perco de mim, encontro o que me faz maior, mais leve e viva. Círculos mágicos me abrigam: estou no meu próprio eixo, estou no centro em equilíbrio e harmonia. Pinto o instante com todas as cores que me amam, sem mover as mãos  e por um tempo fora do tempo, não preciso do que me ancora o chão.


Estou para muito além deste momento: a consciência se amplia, centramento, integração, meu coração abarca todo o mundo. À beira da mim estou no mais profundo que se pode existir  porque não estou mais aqui, porque contenho tudo e nada me contém, porque estou nos braços da geometria do bem.






Karla Bardanza












Copyright©KarlaBardanza2011

0 comentários:

Postar um comentário

Pode falar agora!